sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Miss C. reescreve os rituais

Miss C. entrou este ano para a Catequese. Está a gostar da Catequese, dos novos amigos e actividades e até gosta de ir à Missa.
Por entre conversa sobre Jesus e de como tinha corrido a Missa nesse domingo, perguntei-lhe se já se sabia benzer (ou o Sinal da Cruz)... prontamente ela começou:
"Em nome do Pai, da Mãe e do Espírito Santo. Amém"

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

O mistério dos lápis encolhidos

Muito antes de ter uma filha em idade escolar - ou até de ter filhos ponto - ouvir falar de um mistério que tem início a cada mês de Setembro e se prolonga ao longo de todo um ano lectivo. Aquilo que denominei como "o mistério dos lápis encolhidos".
É incrível a velocidade à que a minha filha a afia da minha filha come os seus queridos lápis. 

Esta foto foi tirada assim cerca de mês e meio depois do início das aulas e, garanto-vos, que a fome da afia da minha C. não diminui entretanto. Pelo contrário. Acho que hoje já só existe cerca de metade daquele lápis azul da foto...

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

6 Meses ou meio ano de ♥

Seis. Seis meses.
Hoje completas meio ano de vida e já não tenho palavras para descrever esta nossa nova vida que recomeçou contigo. Do amor que se multiplicou contigo. Da partilha. Do imenso privilégio que é ver-te crescer com a tua irmã e ver como vocês constroem uma relação a cada dia. O amor de irmãs. Para a vida.
Nestes seis meses aprendemos e sobrevivemos a muitas etapas que o coração de mãe teimava em antecipar com alguma ansiedade.

Aprendemos a ser 4, num processo contínuo que vamos alavancando a cada dia.
"Sobrevivemos" a um mês de férias da mana, com a ginástica que isso implica para entreter uma miúda de 6 anos e muita energia num Verão muito tímido.
"Sobrevivemos" aos primeiros dias fora a 4. E tão bem que soube e tão bem que as duas princesas se portaram.
Aprendemos a gerir rotinas e "sobrevivemos" à entrada da mana no 1.º ciclo.
"Sobrevivemos" às primeiras viagens (longas) do pai. E conseguimos gerir a vida entre as três.
Agora vamos "sobrevivendo" ao regresso ao trabalho da mãe. Um dia de cada vez.
E continuamos a aprender a ser família. A nossa família.

domingo, 18 de outubro de 2015

7 anos a 29 Set | 4 meses a 30 Set

A 29 de Setembro, a C., a nossa miúda mais velha, fez 7 anos.
No dia seguinte, 30 de Setembro, a Baby C. fez 4 meses.
Duas datas especiais comemoradas, como é tradição cá em casa, com flores. Uma por cada ano/mês. Tradição que a minha mãe começou comigo e agora mantém com as netas e que eu, confesso, gosto e muito.

 

No dia 29 fez também um ano que soubemos que a nossa família ia aumentar. Foi nesse ano (e em toda a vida) a prenda mais especial que podíamos dar à nossa filha.

Este ano a C. pediu um bolo em forma de coração... aqui fica o resultado final.

Mas não podia faltar o já famoso (cá em casa pelo menos) bolo de pão-de-ló e frutas:

domingo, 30 de agosto de 2015

3 meses ♥

A nossa Baby C. completa hoje 3 meses.
Continua a crescer bem e é uma gorducha que não quer nada com chupetas, mas gosta muito dos seus próprios dedos.
Ri-se muito, principalmente com todas da maluqueiras da irmã.
Não gosta muito das sestas mas vai dormindo bem.
Já ensaia o palrar e, principalmente de manhã, tem grandes "conversas".
Não gosta de estar sozinha nem deitada no colo. Já gosta de ver o mundo sentada e é sempre preciso muita atenção porque às vezes parece que vai fugir do colo.
3 meses que me parecem uma vida ♡ 3 meses de família a 4 ♡ 3 meses de pais a dobrar e de irmãs ♡ 3 meses de amor ♡♥♡

sábado, 15 de agosto de 2015

There's no such thing as too much pink

Hoje a C. ficou chateada porque a irmã estava vestida com "pouco cor de rosa".
Realmente there's no such thing as too much pink!

quinta-feira, 30 de julho de 2015

2 meses ♥

Dois meses. De amor a dobrar. A multiplicar. De pai e mãe ao cubo de duas C's que já parecem falar a mesma língua, porque a língua do amor e do amor de irmãos é universal.
Dois meses de uma vida melhor e mais completa. De família mais completa.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

O 6.º sentido dos bebés

Quer-me parecer que os bebés (e as crianças em geral) vêm equipados com um 6.º sentido que lhes permite detectar se a mãe está com pressa ou quer fazer algo.
É que é precisamente nestes momentos que decidem chorar, ou não dormir, etc etc etc...
(e para provar a minha teoria, porque todas as regras têm excepções, assim que tive a ideia desta post, a Baby C. decidiu deixar a mãe ir fazendo o que queria/precisava esta semana :) com umas sestas proveitosas entre a hora de almoço e o início da tarde).

sábado, 25 de julho de 2015

Aprendizagens de mãe de segunda viagem #1

Com o primeiro filho aprendes a tomar banho em 5 minutos.
Ao segundo, aprendes a passar-te por água em 2 minutos.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Resumo de um fim de dia de sucesso

Um fim de dia de sucesso numa família de 4 é chegar da aula de hip hop da mais velha às 19h20, com a mais nova a chorar depois de um sono de quase 4 horas (e portanto o mesmo tempo sem mamar), conseguir fazer o jantar, comer e  arrumar a cozinha e às 21h36 ter toda a família de banho tomado e pronta para começar a preparar para descansar.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Como destruir a autoestima de uma mãe em 5 segundos...

{Todos já conhecemos a sinceridade e sentido de oportunidade das crianças} 

No dia seguinte a ter chegado do Hospital, a minha C. mais velha estava a ver-me vestir o pijama e tivemos o seguinte diálogo:
C. [com cara de desconfiada]: "Tu tens outro bebé na barriga??!"
Eu [em choque]: Ahh??
C.: A tua barriga está grande...
Eu: ... ... ...

terça-feira, 30 de junho de 2015

1 mês ♥

30 de Junho de 2015
Faz hoje 1 mês que vieste mudar a nossa vida.
Faz hoje 1 mês que somos uma família de 4, como gosta de dizer a nossa menina mais velha.
Faz hoje 1 mês que começámos a reaprender a viver as nossas rotinas.
Faz hoje 1 mês que somos mais felizes. Mais completos.
Faz hoje 1 mês que, ao nascer um bebé nasceu também uma irmã mais velha e um pai e uma mãe de duas meninas lindas.
Faz hoje 1 mês que nasceu a nossa princesa mais pequenina.
Faz hoje 1 mês que o amor se multiplicou.

sábado, 6 de junho de 2015

30 de Maio de 2015

E às 6h09 do dia 30 de Maio de 2015 a nossa vida recomeçou. Nós enquanto pais renascemos e tivemos o privilégio de vivenciar a multiplicação do amor entre filhos e o milagre do amor entre irmãs.
A Camila chegou e o nosso mundo mudou. Para melhor. Para muito melhor.
Apesar do cançaso, dos nervos, das incertezas (que não desaparecem mesmo depois do primeiro filho) voltamos a testemunhar aquele sentimento inabalável de que já não nos lembramos da vida antes dela existir em nós.
29 de Setembro e 30 de Maio são agora os dias mais especiais do ano.
♡♥

quinta-feira, 21 de maio de 2015

À espera que algo aconteça

E nas 38 semanas estamos, literalmente, à espera que algo aconteça.
Não lido bem com esta incerteza porque a experiência anterior não foi assim, mas acho que é normal este sentimento entre a ansiedade por conhecer a minha bebé e a vontade de a ter só para mim só mais um bocadinho ♡

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Dos dias especiais

Há dias especiais e pessoas que os tornam ainda melhores.
Ontem, as minhas pessoas uniram-se para me fazer um "Chá de Bebé" surpresa. Até a minha miúda crescida sabia da surpresa e não se descoseu.


Além de agradecer a todas que fizeram parte deste momento especial e contribuiram para a surpresa (mesmo aquelas que não puderam marcar presença) e também aos respectivos maridos que aproveitaram para fazer um jantar entre eles, tenho de deixar uma palavra especial à nossa C. por todo o trabalho, da ideia à execução, e ainda por ter tido a casa "invadida" por cor-de-rosa.

Claro que até a bolo de fraldas tive direito.

Foi mesmo a melhor forma de terminar um fim-de-semana que incluiu ainda a conclusão das obras cá por casa e montagem dos últimos móveis, entre os quais a cama de grades que já lá tem a alcofa à espera da nossa bebé.

Obrigado às minhas pessoas por me fazerem sentir especial.

sábado, 16 de maio de 2015

Irmãs

Sendo eu filha única, enche-me o coração pensar que vou descobrir este mistério da relação entre irmãos através das minhas filhas.
Ao longo da gravidez, a Carlota foi assumindo uma posição muito maternal em relação à irmã.
Ela não diz que vai brincar com a bebé, mas sim que vai ajudar a tomar conta. Mais recentemente, começa a projectar também o futuro.
Diz que quando a Camila crescer vão ser amigas e que lhe vai ensinar muita coisa: "a falar", "a brincar" e "a andar".


Já sei que tudo isto será mais complexo, mas anseio por acompanhá-las em cada etapa e, mais ainda, desejo, do fundo do coração, que no futuro nós enquanto pais possamos olhar para trás e ver que conseguimos e que elas terão entre si uma ligação que ficará cá, mesmo depois de nós.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Ansiedades da recta final

Adoro estar grávida. Se calhar também ajuda ter tido duas gestações tranquilas e sem grandes sobressaltos.
E por gostar tanto desta fase, apesar de todos os incómodos que implica, na recta final da gravidez instala-se aquele sentimento ambíguo, entre o desejar ter o meu corpo de volta (o que for possível), de conseguir dormir em qualquer posição que possa (apesar de passar a ter um recém-nascido em casa e outra criança mais cresida), a ansiedade de conhecer a minha bebé e, ao mesmo tempo, o querer prolongar esta barriga e este estado de graça que não sei se voltarei a repetir.


Agora, mesmo com o cansaço e as dores que me vão fazendo companhia, começo a pensar muito mais na minha bebé, em como será, com quem será mais parecida e a tentar imaginar comparações com a irmã, procurando também antecipar a relação entre as duas.
Mas mais do que estes momentos mais imediatos de recém-nascido e a curiosidade sobre esse milagre da multiplicação do amor, o que mais me tem ocupado a mente é o depois. Quando a vida retomar o rumo e as novidades de família com um recém-nascido passarem a ser as rotinas de uma família agora de quatro com um bebé e uma menina a iniciar a escola primária.
Todas as dúvidas de recém-mamã ganham nova dimensão num segundo filho.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Pausa para café é obrigatória em TODAS as profissões

Com as minha visitas regulares ao Centro de Saúde (entre consultas e curso de preparação para o parto - que aliás recomendo mesmo à segunda gravidez...), é inevitável o contacto com os arrumadores que por ali "exercem a sua actividade". Mas no outro dia aconteceu o episódio mais caricato.
Estacionei, sem avistar qualquer arrumador e, quando me dirigia para o Centro de Saúde, lá passa o senhor do costume, de café na mão, cumprimenta-me e diz:
"Desculpe não ter dado uma ajuda, mas estava na pausa para o café".
Está certo, aliás, eu defendo que a pausa para café deve ser obrigatória em TODAS as profissões. Ou ocupações, vá.

terça-feira, 12 de maio de 2015

À Camila

Estamos nas 37 semanas e oficialmente esta gravidez já leva mais tempo que a anterior, dado que a nossa mais velha (já disse que acho piada a falar assim da minha filha?) nasceu no dia em que entrámos nesta semana.
Estando este blog parado há demasiado tempo, achei que era uma boa altura para escrever à minha embutida, à nossa Camila.
Temos tudo pronto (acho eu), falta apenas montar o berço, mas aqui a mami gosta de deixar esse pormenor mesmo para fim - manias - e os dias da mãe vão girando entre a mana mais velha e a preparação da tua chegada, com consultas, visitas ao hospital e centro de saúde e afins.
Sabes Camila, quando a tua irmã nasceu havia na família uma sensação de euforia com a sua chegada. Foi a primeira filha, primeira neta, primeira sobrinha e tudo o mais. Era todo um novo mundo. Mas agora tu tens ainda mais sorte sabias? Além de toda esta gente - a nossa aldeia como a a nossa amiga AL tão bem lhe chama - tens também a tua irmã que por estes dias já anda ansiosa, depois que eu lhe disse que já faltava pouco para te recebermos.


Sabes a música que ouves à noite antes da mãe tentar dormir? Pois, é a mana que te põe, com as mesmas mãozinhas que te fazem acalmar em momentos em que quase deixas a barriga da mãe num vale de montanhas movediças.
A partir de agora estamos numa fase em que podes nascer quando quiseres, mas a mamã não se importa que queiras estar no quentinho a crescer mais um bocadinho. Do lado de fora vamos gerindo as emoções na ansiedade da tua espera.



sexta-feira, 17 de abril de 2015

À tua espera

Na semana passada, com as 32 semanas, veio a recomendação de descanso e uma novidade na minha vida: a baixa.
Depois de uma semana em casa, as 33 semanas e a eco do 3.º trimestre vieram renovar a recomendação de repouso. "Vem aí outra apressada como a irmã". Pois dito assim - e tendo em conta que a Carlota nasceu à entrada nas 37 semanas - sou atingida pela constatação que se se mantiver a "tradição", já se contarão pelos dedos de uma mãe as semanas que faltam para conhecermos a Camila.

Até lá, podemos tentar adivinhar parecenças através das maravilhas da tecnologia.


quarta-feira, 1 de abril de 2015

O maravilhoso mundo das crianças, ou a descoberta do Dia das Mentiras

A C. descobriu este ano o Dia das Mentiras. Foi duma conversa com o avô, a que se seguiu o seguinte diálogo:
C.: Sabes mãe, dia 1 de Abril é Dia das Mentiras e eu vou dizer uma mentira à M.!
Eu: Ai sim?
C.: Vou dizer-lhe: "Olha ali um pássaro no céu"; ela olha e não está lá nada e eu digo "DIA DAS MENTIRAS!!!"

Como é maravilhoso observar as descobertas dos mais pequenos...

quinta-feira, 26 de março de 2015

Em contagem decrescente

Entramos hoje nas 30 semanas e aqui a mãe começa a tomar consciência que o tempo passa e se calhar é boa ideia começar a preparar a chegada da piolha.
A casa começa (devagarinho) a adaptar-se à chegada de mais um elemento, mas ainda falta organizar muita coisa. Com calma que a barriga agora não deixa andar em grandes aventuras.
A Camila começa, cada vez mais, a fazer parte das nossas vidas e a curiosidade e nervoso miudinho começam também a chegar.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Das culpas da mãe

Ser mãe é também um constante estado de ansiedade de culpa(s).
Esta mãe ontem sentiu-se culpada porque se esqueceu da fadinha do dente e teve de inventar/improvisar uma prenda com o que tinha em casa, quebrando a tradição da colecção de livros que vinha mantendo até agora.
Hoje esta mãe sente-se culpada porque as noites com insónias, mais a casa de pernas p'ro ar por causa das obras, aliada à pressa ditada pelo dia mais stressante no trabalho fazem com que a manhã comece com momentos de ira e discussão com a criatura pequena da casa que, por muitos beijinhos e sorrisos que nos dê ao chegar à escola, com a certeza que está bem e já passou, me deixam com o coração apertadinho até
à hora de a ir buscar.
Depois também há o sentimento de culpa com a bebé embutida. Seja porque me esqueço de fotografar a barriga ou de falar com ela (mas também passa o dia a ouvir-me, será que me quer mesmo a cantar ou dizer baboseiras?).
Enfim, hoje deu-me para isto.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Para ti Pai

Quando há uns anos tivemos a ideia maluca "vamos ter um bebé", estávamos longe de imaginar na aventura que nos íamos meter. E a nossa vida nunca mais foi a mesma.
Com a gravidez nascemos como projectos de uma mãe e um pai, que renasceram no dia em que a nossa princesa grande se fez luz.
Os 3, juntos, temos vindo a aprender o que é isto de construir uma família. Nem sempre é fácil, nem tudo são rosas, mas são os pequenos obstáculos do dia-a-dia que nos fazem crescer e nos dão a certeza que a vida só faz sentido uns com os outros.
E este ano todo este caminho ganha uma nova dimensão, com a princesa mais pequena a caminho. Será uma nova etapa, agora a 4, em que vamos (re)aprender a ser e estar enquanto família, nós enquanto pai e mãe a dobrar e a nossa filha enquanto irmã. 
Neste Dia do Pai, deixo uma palavra ao homem que escolhi para pai das minhas filhas, aquele que está lá pronto para as pequenas brincadeiras e grandes aventuras, para celebrar as vitórias, para limpar a lágrima e dar colo quando é preciso, para ralhar e educar sempre que isso se impõe, para dar o beijinho de boa noite ou só para estar. Porque sim. E porque somos família.
 

E por ser Dia do Pai e porque sem eles nós também não éramos família, não podia deixar de mandar um beijinho especial também para os nossos pais, agora avôs, que são pais a dobrar.

quarta-feira, 18 de março de 2015

10/52 semanas | Para um sono colorido

E assim, já a dormir, foi como fomos dar com ela.
Foi buscar a almofada da Barbie e à volta dela colocou todos os bonecos que habitam em cima da cama.

terça-feira, 10 de março de 2015

Detalhes {32}

A foto é da semana passada...27 semanas and couting (and growing....)

9/52 semanas | O vício do momento

Ups que isto anda atrasado...
Esta semana temos a foto (possível) do vício do momento: a caderneta de cromos dos animais.
Até combinamos trocas de cromos com quem tem também muitos repetidos...

sábado, 7 de março de 2015

Comentadores de mesa de café

Ao sábado de manhã, enquanto a miúda está nas aulas de piano, venho a um café onde se reúnr um grupo de, vá, seniores que passam o tempo a comentar a actualidade.
Desporto - ou melhor, o futebol - costuma ser o tema dominante, mas esta semana, como não podia deixar de ser, a novela do nosso primeiro com a segurança social foi o assunto central.
Mas depois de comparações com os seus próprios casos, já fiquei a par de tendências de coligação para as eleições legislativas, candidatos presidenciáveis e até desabafos sobre a falta de saneamento e buracos nas estradas aqui na freguesia e concelhos deles (que não é o meu).
É assim um misto de caderno de desporto, economia e política, com opinião e análise da actualidade ao vivo.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Manias

A gravidez trouxe de volta um velho hábito: leite frio, directamente do frigorífico para o copo.
Hoje para acompanhar roubei um "manhãzito planetas" à minha piolha.

"Produzimos Diamantes"

Gosto - e muito - da letra desta música.
"Ai há bebé
Somos os tais
Que viraram pais
Firmes e constantes
Produzimos diamantes"


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Um T2 para 4

Numa primeira gravidez sonhamos com o quartinho do bebé. Corremos catálogos de mobiliário com berços e móveis para dar banho e mudar fraldas, etc e tal, pensamos na cor das paredes, das roupas de cama, etc, etc, etc...
À segunda gravidez, e vivendo num T2, já só pensamos "mas onde vou guardar toda a roupa e tralhas e afins!?". De maneira que os catálogos que procuramos já são do Ikea, em busca das melhores camas x2 (rapidamente nos passa aquela história de que os beliches é que são giros), medimos os quartos para descobrir qual o maior, sonhamos com armários embutidos e imaginamos espaços extra (tipo gavetas nas camas) para guardar roupas de cama, toalhas e outros que tais.
É precisamente nesse processo que estamos lá por casa. As camas estão escolhidas e compradas (obrigado Ikea pelas promoções), os armários embutidos estão encomendados e, finalmente, na minha cabeça começam a surgir as primeiras ideias do quarto para as duas.
O berço, herdado da irmã mais velha, ainda não sei bem para onde irá e cada vez tenho mais ganas de enfiar com a mai'nova numa alcofa dentro da cama grande (brincadeira, não é preciso chamar já os serviços sociais). Se antes da minha filha mais velha nascer sonhei com um quarto de bebé (que nunca o foi na verdade), hoje já imagino o quarto para duas meninas.

8/52 semanas | Afectos e O nome

Já com quase uma semana de atraso, finalmente terminámos o trabalho da 'Semana dos Afectos' para a escola.
Quando conversávamos sobre o que iríamos fazer, a C. perguntou-me:
"Posso escrever adoro a Camila no trabalho, mãe?"
E, claro, aqui a mãe babada (e de hormonas em descontrolo) quase que chorava. Depois o que pareceu mais lógico foi aproveitar a foto dela a dar um beijinho à irmã na barriga! O resto são corações como a minha pirosa do cor-de-rosa gosta.
Então, e Camila, perguntam vocês, sim este será o nome da nossa menina mais nova, que estava escolhido pela irmã, ainda na fase em que um bebé era apenas um desejo da piolha...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Amigas "de molho"

Duas das minhas melhores amigas - e companheiras de chat do gmail em horário laboral - estão "de molho", que é como quem diz, por casinha em descanso e recuperação. A A.L. está a descansar à custa da sua Bebé Apressada, enquanto a L. decidiu tirar umas medidas ao chão.
Conclusão, quase de um dia para outro, fiquei praticamente sem estas minhas pessoas online que estavam sempre lá para ouvir ler os meus desabafos (e são tantos ao longo da semana senhores...).
Mas hoje estive com a L. e falei com a A.L. e soube-me tão bem...
Tudo para vos dizer, gosto muito de vocês, tenho saudades das nossas conversas virtuais, mas acima de tudo, cuidem-se!!!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Detalhes {31}

26 semanas: os vestidos são os meus melhores amigos e o cinza e azul escuro as cores do momento.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

7/52 semanas | Piano

Os nossos sábados de manhã são bem preenchidos. Na verdade são mais os dela que os meus "limitam-se" à tarefa da mãe-motorista que leva a piolha de um lado para o outro.
Pela fresquinha temos aula de piano e música, a foto desta semana, quando ela chega e começa logo a preparar o livro para a aula.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Amor

É ver a tua cara de felicidade quando sentes a mana a mexer dentro da barriga da mãe.
É ouvir a tua educadora dizer que falas muito da mana na escola.
É a tua preocupação, logo pela manhã, em perguntar se a mana "dormiu bem".
É ouvir-te dizer que todas as tuas roupas que deixam de servir vão ser para a mana.
É responder-te a perguntas como "quando a mana crescer vamos ser amigas?".
É ver-te crescer e sentir-te genuinamente feliz pela maior prenda que nós te podíamos dar.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Obrigado Lidl e Johnson's Baby*

Gosto de participar em passatempos e sorteios, mas muito raramente ganho alguma coisa (só me lembro assim de uma excepção). Foi por isso que foi com alguma indiferença que participei no passatempo lançado pelo Lidl com um cabaz Johnson's Baby.
Para meu espanto, desta vez ganhei, pelo que levantei esta semana este prémio composto por, nada mais nada menos, que 23 produtos Johnson's Baby.
Muitos destes ou fazem ou já fizeram parte das nossas rotinas, tanto minhas como da minha filha, outros acho que vão ter uso com a bebé.
Assim até sabe bem participar em passatempos!

 

*Não, este blog ainda não chegou ao patamar de receber ofertas só porque sim das marcas...

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

6/52 semanas | Uma princesa

Hoje escoltei uma Barbie Princesa de casa do Palácio até à escola Castelo do Reino das Fadas:
- "Faz de conta que o carro é uma carruagem puxada por cavalos, 'tá bem mãe?"
Claro filha sua alteza. Por ti, e para ti, o Carnaval tem outra magia.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Conversa que devia gravar para memória futura

Hoje de manhã, ao sairmos para a escola tivemos esta conversa:
C.: "Dia 14 é Dia dos Namorados".
Eu: "E tu, tens namorado?"
C.: "Ainda não."
- breve silêncio -
C.: "Isso é só quando somos mais crescidas, sabes?"
- breve silêncio -
C.: "E quando crescer vou ser médica das crianças..."

Há conversas que eu devia gravar para memória futura!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

A saga do fato de Carnaval

Entre a próxima sexta-feira e a terça de Carnaval, a minha filha tem 3 festas de máscaras.
Assim, no sábado fomos em busca do fato de Carnaval deste ano para a miúda (que por ela vestia o do ano passado ou até do anterior). Apaixonou-se por uma espécie de "barbie princesa", mas aqui a mãe torceu logo o nariz ao único tamanho disponível: 3-5 anos.Pronto, sem alternativa lá o trouxemos, com indicação da senhora que iria ter o número acima, caso necessário.
Chegadas a casa, a animação era tal que tivemos de experimentar e, claro está, o vestido está apertado. Ou melhor, para levar roupa por baixo (sim porque ao ver as reportagens de carnavais por esse país fora podemos ter dúvidas, mas não, não estamos no Brasil e sim estamos em pleno Inverno frio comó'caraças) o vestido, pura e simplesmente não fecha.
Ultrapassado o choque inicial da nossa pequena drama queen, estava eu a tomar o pequeno-almoço na segunda-feira, quando ela chega à cozinha de vestido na mão:
"Isto diz aqui que é para 3-5 anos. Vais à loja e dizes à senhora:
- A Carlota tem 6 anos, por isso precisa de um vestido para 6 anos".

Detalhes {30}

24 semanas e cada vez gosto mais de andar de striped belly

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Por momentos pensei que estava a chegar à Primavera

A natureza tem o condão de nos apresentar pequenas surpresas, coisas simples que nos deixam de sorriso no rosto.
Hoje, ao sair do trabalho bem perto das 19h, já noite cerrada, caminhava  até ao carro, junto ao Jardim quando comecei a ouvir os pássaros cantarem uma canção que parecia uma espécie de Primavera anunciada.
Gostei.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Brinquedos de infâncias partilhadas

Lembram-se das Polly Pocket, as verdadeiras?
Quando eu era criança, tanto as bonecas como as suas casas (e cidades) tinham o tamanho apropriado ao seu nome, ou seja, cabiam no bolso.
Estas sobreviveram à minha infância e são agora da minha filha que gosta bastante de brincar com elas.


A C. também tem algumas das mais actuais, mas continua a gostar mais das velhinhas.
Da minha infância também sobreviveram Legos com que a minha filha ainda brinca, mas estas, por já não existirem têm um lugar especial.
Tenho de fotografar também as colecções de livros, alguns com mais de 30 anos, que vivem lá por casa, agora na "biblioteca" da minha filha.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

5/52 semanas | Crescida

A minha menina crescida já escreve o nome nas senhas para o almoço na escola!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

4/52 semanas | Manias

A minha filha deve ser das poucas crianças que quer sempre estar neste tipo de carrossel que há em quase todo o lado, mas implora para que não ponha moeda e o faça andar... manias


- Ainda em Janeiro e o desafio já com atraso... ups -

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

"O Inverno é amigo das grávidas"

"O Inverno é amigo das grávidas", ouvi ontem dizer e realmente é verdade.
A gravidez da Carlota foi passada de Verão, com tempo bastante quente. Nesta altura, a meio do caminho, toda eu estava inchada, dedos dormentes, precisava da ajuda de cintas, meias elásticas e almofadas para dormir e o anel teve de ficar em casa desde muito cedo.
Agora, nesta gravidez de Inverno, tudo está, por enquanto, diferente.
Apesar de crescer todos os dias e da mega-barriga - que quase parece que fim de tempo ou de gémeos -, o anel ainda está no dedo, todo o meu calçado me serve e ainda não sinto necessidade de cintas.
É certo que a roupa é mais chata porque é quase impossível encontrar casacos que nos fiquem bem, ao mesmo tempo que fecham na zona da barriga (resta-me um único casaco comprado no ano passado e cujo fecho ainda fecha), mas a moda das leggings e camisolas compridas ajuda e muito!

Das coisas que não têm preço

A cara de felicidade da nossa filha ao ver a irmã numa ecografia.
Da cumplicidade dela com a médica que a fez nascer e com quem pouco conviveu, mas que ontem na consulta fez questão de ajudar, ao jeito de doutora brinquedos, a medira  tensão à mãe.
Da vontade dela em participar na preparação da chegada da irmã.
E dos seus olhos brilhantes que iluminam os nossos dias.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Dar cor ao cinzento dos dias

Confesso que, por natureza, tendo a não ser a pessoa mais optismista do mundo. Mas por vontade e convicção, tento ver sempre o copo meio cheio e, em dias um bocadinho mais cinzentos preciso procuro dar cor a alguns momentos.
E qual a melhor cor senão este cenário esta manhã em casa da minha mãe.
 
Uma pequena amostra das roupinhas que, lentamente, vão saindo dos caixotes ou chegando até nós em segunda ou terceira mão (who cares, gosto de roupa com história).

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

3/52 semanas | Irmãs

Esta semana trouxe a confirmação que o nosso mundo vai ser ainda mais cor de rosa!
Vamos ter mais uma menina e a mana mais velha está radiante e em constante mimo com a barriga.
A meio desta viagem começo a sentir o nervoso miudinho do "mas ainda tenho TUDO para preparar", mas procuro manter a calma. Há ainda muito a fazer e a mudar lá por casa... um passo de cada vez.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

"E as chupetas? Temos de comprar chupetas!"

A mais recente preocupação da minha filha relativamente ao bebé são as compras que temos de fazer (e eu ainda não lhe apresentei às famosas listas que por aí se multiplicam).
Dentro da infindável lista, chegou agora às chupetas.
- Temos de comprar chupetas, diz ela.
- Nem tanto, respondo eu, caso o bebé seja como a irmã que nunca as quis.
Então, lembrou-se que na "nossa" parafarmácia, onde trabalhar a minha esteticista (a B., a melhor do mundo) vende chupetas. Depois de dias a lembrar e relembrar a cada passagem pela porta da parafarmácia, já me disse que amanhã quer ir comigo à esteticista.
- "Pintar as unhas", diz ela.
Comprar chupetas, acredito eu que seja isso que queres no fundo!

sábado, 17 de janeiro de 2015

2/52 semanas | A artista e a sua obra

Ou a foto possível quando a pequena não quer ser fotografias...

Momentos que derretem o coração de uma mãe

Ao despedir-se de mim, volta para trás para dar um beijinho na barriga!
Depois de dormir em casa da avó, a primeira coisa que pergunta, quando fala comigo ao telefone e depois de lhe perguntar se ela dormiu bem, é se o bebé também dormiu bem!
O meu coração transborda de alegria e orgulho ♥

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

"Tens um bebé a crescer na barriga e pronto?!"

Há dias (talvez semanas vá), em conversa com uma amiga que me perguntava como me sentia, respondia-lhe que me sentia normal.
"Então tens um bebé a crescer na barriga e pronto?!", respondeu ela. Sim, basicamente é isso. Tanto nesta gravidez como na primeira. Enjoos foram coisa raríssima por cá e tirando alguma sensação de desconsolo com a comida, só mesmo a barriga a crescer me diz que estou grávida!

Tenho um bebé a crescer na barriga e pronto!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

A segunda viagem

Sempre pensei que uma segunda gravidez seria, necessariamente, diferente. E claro que é.
Mas se há coisas sobre as quais acho que somos mais despreocupadas numa segunda gravidez, há outras que ganham toda uma nova dimensão.
A começar pela decisão de engravidar em si (caso seja planeada como no nosso caso). Não sei bem porquê, mas acho que a decisão de ter um segundo filho(a) foi mias difícil de tomar. E depois é os timings. Se na primeira gravidez era quando tivesse de ser, numa segunda já há todo um calendário do primeiro filho que nos faz balançar.
Primeiro a diferença de idades. Depois, após o segundo risco no teste e aquele sorriso parvo do "e agora?!", começam as contas para saber quando deverá nascer e pensar se poderemos, eventualmente, perder algum momento importante da vida do(a) mais velho(a).
Outra coisa que - às vezes - me faz pensar é o tempo de internamento. A minha filha esteve praticamente 5 dias "nas luzes" por causa da puta da icterícia. Se na altura me questionava como é que havia mães que optavam por ter alta enquanto os bebés ficavam internados, agora acho que as compreendo melhor... praticamente uma semana no hospital havendo outra criança em casa é complicado.
Depois é a eterna comparação entre a primeira e a segunda gravidez, o relembrar de como nos sentíamos, enfim, toda uma panóplia de pormenores. Até o sentimento de culpa quando percebemos que já não fotografamos a barriga há umas 3 semanas...
Acima de tudo, acho que a verdadeira diferença é a disponibilidade. Numa primeira gravidez e à parte do trabalho, toda a nossa atenção pode centrar-se no maravilhoso fenómeno que se desenrola no nosso corpo. Mas numa segunda (ou terceira...ou quarta), há já um filho(a) que precisa e exige a nossa atenção.
Mas há algo que não me deixa nunca de surpreender. O maravilhoso milagre da vida. Ou como, de facto, os nossos corpos foram feitos para isto e, quase sem se dar por ela, gerámos um novo ser. Mais um bocadinho de nós.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

1/52 semanas | Passeios com o sol de Inverno

Ao longo do ano passado fui seguindo este desafio em alguns blogues, nomeadamente no Comer, Vestir & Babar, e como acho que é um excelente exercício decidir tentar.
Ora então, consiste numa fotografia da minha filha por semana ao longo de todas as semanas do ano. Não vai ser fácil e, correndo tudo bem, teremos mais um(a) protagonista dentro de alguns meses. 
 
Um bocadinho fora de tempo, mas a fotografia de 2015 poderá resumir o 1.º e 2.º domingos do ano, em que o sol de Inverno nos levou por um passeio de bicicleta pelo Parque, terminando com exercícios.

 

sábado, 3 de janeiro de 2015

Todas as oportunidades para aprender

O gelo no carro esta manhã foi o mote para uma 'aula' sobre o estado sólido e líquido.
Ontem um programa de televisão levou à pergunta "o que é poupança?".