sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Ser mãe...

É ficar acordada até à 1h20 [depois de chegar de mais um trabalho numa sessão de assembleia municipal] para acabar a bainha do vestido da Branca de Neve, que era o último na loja e alguns tamanhos acima, para estar pronto para a festa de Carnaval na escola...

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Da ironia*

Cenário - Chegadas à escola, apercebo-me que não levei a bata, depois de no dia anterior ter levado outra para lavar:
Eu: Esqueci-me de trazer a bata.
Ela: Olha, que pena...(ler em tom absolutamente irónico como não julgava possível aos 5 anos de idade)

*não sei a quem saiu ;)

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Porque eu tenho amigas talentosas ♥

Quem tem amigas talentosas tem tudo ;)
Adoro de coração ♥
  
Ilustração para a remodelação do quarto da pequena que anda em estudo.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Carlota na cozinha {3}

Em casa da avó A. a mini-cozinheira tem avental à medida

Do meu forno

Têm saído vários bolos cuja fotos vão ficando esquecidas...

O bolo tractor para a festa com tema da quinta cujos convites também fiz e que vai merecer um post:

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Ser mãe...

É encontrar pedaços de brinquedos nos bolsos do casaco.

No nosso Dia dos Namorados

Nós. Porque foi neste dia, há 6 anos, que soubemos que a nossa vida ia mudar.
PS: I♥You
 

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Banalidades do meu dia #3

Ontem passámos a tarde na cozinha. As duas. O pai estava a trabalhar e eu tinha-a desafiado para fazermos um bolo. Lá fora o mau tempo americanizado com nome de tempestade já dava sinais de ter chegado.
Ela quis fazer primeiro uma gelatina (que gosta só de "comer" enquanto ainda está líquida, depois a mãe  o pai que a comam). Fizemos gelatina de ananás (sem açúcar, já que a tenho de comer pelo menos evito calorias a mais).
Depois fizemos o bolo, ou melhor, eu fiz, ela foi brincando e depois ajudou a misturar os confetis de chocolate negro e branco.
Enquanto o bolo estava no forno eu andei entretida com a roupa que tirei da máquina de secar, com a que tirei da máquina de lavar e coloquei na de secar e entretanto secou e ela esteve sempre por lá, ora a comer, ora a brincar.
Ainda tivemos tempo para fazer massa de moldar caseira (ou seja, mistura de farinha e água) que a que trouxe da escola já estava fora de prazo "e quando a massa se estraga temos de pôr no lixo não é mãe", explicava depois ela ao pai que chegou entretanto, estava ela já a pedir para sair do banho porque a água que enchia a banheira já estava gelada fria.
Foi uma tarde de domingo como eu gosto: caseira, sem presas e onde se consegue fazer muita coisa.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Vale-me o tarifário ilimitado...

Minha querida filha, até agora alérgica (tão parecida com a sua mãezinha) a tudo que é telefones para falar com alguém (sim porque para jogar e brincar já servem), descobriu o maravilhoso mundo das chamadas telefónicas.
Hoje, como o pai não atendia, ligou para as duas avós e ainda falou com o padrinho, fazendo questão de atender o pai quando ele devolveu as chamadas (sim obrigou-me a ligar duas vezes). E faz o report do que está a fazer, com quem está e etc e depois conta tudo da conversa de outro lado.
Mas é preciso estar muitoooooo bem disposta para esta vontade repentina...

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

É isto...

Uma mãe vai levar a sua filha à escola, quer apenas um beijinho e é empurrada - pela própria filha - para fora da sala...
Pronto, é isto...

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

A multiplicação da amizade {e do amor}

Por muitas razões, eu sou daquelas pessoas que acredita que a família é constituída por aqueles que escolhemos para que façam parte das nossas vidas e por isso tem lugar para ligações de sangue, mas também (e, em certos casos, muito mais) para ligações afectivas e laços de ternura e amizade que a vida e o tempo nos trazem.
Serve esta introdução para vos dizer que a família - a nossa família - cresceu. A pequena B. chegou e com ela multiplicam-se motivos de partilha, de festejo e de união.
É giro ver como o grupo de 6 amigos - que há anos partilha a vida - se tem multiplicado e hoje somos 9 (NOVE). Enchemos, literalmente, uma sala, uma casa. Os 9, que este domingo encheram o quarto de hospital de amizade e sentimo-nos em família nas boas-vindas à bebé B.
Como será, a partir de agora, nos jantares de fim-de-semana, numa das três casas, em que as crianças brincam (e brigam porque também faz parte do crescimento), descalças (sempre) e como orgulhosos nos anunciam: "estamos a partilhar os brinquedos". Como será nas idas ao restaurante, onde já vamos ocupar um espaço ainda maior.A B. chegou este fim-de-semana, mas já há muito fazia parte das nossas vidas e das conversas dos seus pequenos amigos C. e J. que já fazem planos de a pegar no colo e brincar, mas só com os "brinquedos para pequeninos".
E assim, através dos nossos filhos, a nossa amizade vai-se multiplicando. E eu gosto que seja assim.

Imagem retirada da Internet



Detalhes {21}

Porque está frio e é sempre bom recordar dias felizes*.
*Objectivo: conseguir manter as unhas arranjadas...

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Ser mãe...

...é descobrir o caminho para freguesias vizinhas onde nunca tínhamos ido só para levar a miúda a uma festa de aniversário.
O GPS pode ser o melhor amigo de uma mãe nos dias de hoje!